00:00:00


Prefeitura não apresenta para FMF documentos que comprovem venda do Dutrinha

Registros do cartório demonstram que estádio ainda pertence a Federação

Há um mês a Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) notificou a Prefeitura de Cuiabá, através do procurador-geral do Município, Marcus Brito, para que apresente documentos que comprovem a venda de maneira legal do Estádio Eurico Gaspar Dutra para o município de Cuiabá, em 2011, e até o presente momento, não obteve resposta.

Informações extraoficiais apontam que o Palácio Alencastro também não encontrou documentos que comprovem a venda do estádio para a Prefeitura. Em uma busca no cartório, o estádio ainda pertence a instituição, assim como a mesma continua pagando IPTU para o município do imóvel.

De acordo com a notificação, após realização de auditoria interna da FMF, não foram encontradas na instituição documentos que detalhem a transação, em especial se os valores foram quitados e de que forma foram pagos. “Em verdade, sequer tem se tem conhecimento da situação jurídica do imóvel”, diz trecho do documento.

Questionada sobre quais ações a Federação vai tomar daqui em diante, a assessoria de imprensa reforçou que em nenhum momento a instituição deseja entrar em um embate jurídico com a prefeitura, mas quer saber a realidade dos fatos em relação ao Dutrinha, e esclarecer se o estádio foi realmente vendido corretamente, e se foi vendido.

“Portanto, a FMF somente está requerendo acesso aos documentos e informações que estão em posse do município de Cuiabá, com muito respeito e diálogo, já que na instituição quase nada foi encontrado, inclusive se houve pagamento ou não do estádio para ele ser desapropriado”, afirmou.

O estádio foi vendido em 2011, ainda na gestão do ex-presidente Carlos Orione. O prefeito de Cuiabá na época era Júlio Pinheiro, do PTB, que tinha assumido de forma interina. Ambos já são falecidos.